Organização

A estrutura organizacional da UNEFAB é constituída da seguinte forma: Assembleia Geral, que é o órgão máximo da instituição e que elege o Conselho de Administração, composto por 18 membros, representando as diferentes Associações Regionais e um Conselho Fiscal, composto por seis membros com mandatos de quatro anos. O Conselho de Administração escolhe seu Presidente e demais membros que constituem a Diretoria Executiva. O Presidente por sua vez, mediante parecer do Conselho de Administração, escolhe o Secretário Executivo para coordenação das ações da UNEFAB, assim como as assessorias necessárias.



MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL DA UNEFAB (2013 a 2017)

a) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

DIRETORIA EXECUTIVA:

Presidente: Antônio Baroni da Rocha (AEFACOT)
Vice-presidente: Maria Conceição Magave Miranda (RAEFAP)
1º Secretário: Joaquim José da Silva (AECOFABA)
2º Secretário: Julio Cesar de Almeida Pacheco (AMEFA)
1º Tesoureiro: Idalgizo José Monequi (MEPES)
2º Tesoureiro: Elton Roberto Hein (AGEFA)


CONSELHO DELIBERATIVO:

David Sudário de Lima Silva (UAEFAMA)
Rubens de Farias Cruz (REFAISA)
Edvaldo Noventa (RACEFFAES)
Erni Santos Lima (AEFARO)
César Eduardo Tardin (IBELGA)
Antônio Baroni da Rocha (AEFACOT)
Maria Conceição Magave Miranda (RAEFAP)
Joaquim José da Silva (AECOFABA)
Julio Cesar de Almeida Pacheco (AMEFA)
Idalgizo José Monequi (MEPES)
Elton Roberto Hein (AGEFA)

b) CONSELHO FISCAL:
TITULARES:
Adevanildo Lopes da Cruz (AECOFABA)
José Manoel Sousa (UAEFAMA)
Alzimiro Domingos da Silva Filho (IBELGA)
SUPLENTES:
Silvana Maria Laquini Moro (MEPES)
Jorge Luis Mariani (AGEFA)
Bruna Ferreira Santos (AMEFA)

SECRETARIA EXECUTIVA:
Secretária Executiva - Iara Ribeiro Silva - Orizona (GO)

EQUIPE TÉCNICA:
Auxiliar de Secretaria - Anselmo Pereira de Lima (GO)

ASSESSORIAS:
- Pedagógica:
Coordenação Colegiada da Equipe Pedagógica Nacional:
Joel Benisio (MEPES)
Idalino Firmino (AMEFA)
Geraldo Dias Valadão (AEFARO)
Marleide Alves das Neves (UAEFAMA)
João Paulo Reis Costa (AGEFA)
- De Comunicação : não permanente
- Jurídica: não permanente
- Contábil : não permanente

ASSEMBLEIA GERAL - ATRIBUIÇÕES

A Assembleia Geral é o órgão supremo e regerá a vida da UNEFAB.
São participantes de direito à Assembléia Geral:
a) Os membros ativos que serão representados por 03 (três) delegados por unidade agregada, sendo, pelo menos, 02 (dois) agricultores;
b) Os membros honorários que serão representados por 01 (um) delegado, sem direito a voto.
A Assembleia Geral realizar-se-á em caráter ordinário e obrigatoriamente a cada 04 (quatro) anos para:
- Ouvir o relatório das atividades do Conselho de Administração;
- Apreciar e aprovar o balanço do exercício passado, votar projetos e a programação quadrienal, fixar as quotas anuais e as modalidades de pagamentos;
- Eleger os Membros do Conselho de Administração e Conselho Fiscal;
- Decidir sobre a admissão de novos membros;
- Fixar data e local da próxima Assembleia Geral;
- Deliberar sobre qualquer outro assunto incluído na ordem do dia.
A cada 02 (dois) anos será realizado um Seminário ou Congresso para debater sobre questões de interesse das unidades agregadas e avaliar o andamento dos trabalhos do Conselho de Administração.

O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

A UNEFAB será administrada por um Conselho de Administração, composto de 18 (dezoito) membros, e seus respectivos suplentes, sendo 12 (doze) agricultores e 06 (seis) monitores, eleitos por votação direta da Assembléia Geral, por um período de mandato de 04 (quatro) anos, sendo possível sua reeleição para um segundo mandato.
O cargo de presidente do Conselho de Administração deverá ser exercido obrigatoriamente por um agricultor comprometido com o trabalho das EFAs e que vive da atividade agrícola ou rural, assim como o primeiro e segundo vice-presidente.
O Conselho de Administração reunir-se-à pelo menos duas vezes por ano com a presença mínima de 11 (onze) membros. As decisões serão tomadas com a presença da maioria simples de seus membros, decidindo-se em caso de empate, o voto do Presidente.

O CONSELHO FISCAL

A Assembleia geral elegerá 06 (seis) membros para o Conselho Fiscal.
a) Depois de eleitos, estes escolherão entre si, os membros efetivos e suplentes.
b) Em caso de vacância de um membro efetivo ou nas suas faltas e impedimentos este será substituído pelo suplente até o término do mandato.
c) O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato do Conselho de Administração.
Compete ao Conselho Fiscal:
a) Examinar e apreciar os inventários, balanços e relatórios da UNEFAB;
b) Denunciar à Assembléia Geral os erros e fraudes que por ventura, descobrir, sugerindo medidas a serem tomadas;
c) Convocar Assembleia Geral Extraordinária, se necessário;
d) Convocar Assembleia Geral Ordinária, se o Conselho de Administração atrasar nos convites, por mais de um mês;
e) Convidar técnicos para assessora-lo, se necessário;
f) Opinar na aquisição e alienação de bens da UNEFAB;
g) Fiscalizar o cumprimento dos estatutos e regimento interno.
O Conselho Fiscal reunir-se-á ordinariamente uma vez por ano e extraordinariamente, tantas quantas necessárias.
Todas as reuniões, opiniões, apreciações do Conselho Fiscal serão lavradas em Atas.
A UNEFAB não distribui lucros, vantagens a seus membros ativos e honorários e as atividades do Conselho de Administração e Conselho Fiscal são inteiramente gratuitas.
É vedado qualquer vinculação entre os bens patrimoniais da Entidade e dos membros do Conselho de Administração ou qualquer outra pessoa ou entidade.



FINALIDADES DA UNEFAB


- Representar e defender os interesses das EFAs filiadas, junto aos órgãos municipais, estaduais, federais e internacionais.
- Fomentar e promover a comunicação e intercâmbio de experiências e de materiais educativos entre as EFAs e suas entidades mantenedoras.
- Acompanhar e assessorar o trabalho das EFAs e suas associações, visando assegurar a qualidade das atividades e conseqüentemente uma boa formação dos jovens.
- Manter a unicidade do Projeto Educativo das EFAs, quanto aos seus princípios filosóficos e metodológicos.
- Articular e assessorar a organização e funcionamento das Associações locais e regionais, tendo em vista o fortalecimento institucional e político das mesmas.
- Estabelecer parcerias, convênios, acordos, etc. com Instituições nacionais e internacionais para o desenvolvimento e fortalecimento das ações promovidas pelas EFAs.
- Estabelecer políticas e estratégias para questões de interesse comum em nível nacional.
- Proporcionar momentos de estudos e reflexões sobre temas relacionados ao trabalho das EFAs e outras questões afins.

0 comentários: