quinta-feira, 21 de maio de 2015

UNEFAB e DISOP Belga realizarão duas Oficinas sobre Histórias Digitais

A UNEFAB em parceria com a DISOP Belga realizará nas próximas semanas, duas oficinas de histórias digitais, para um público composto por agentes multiplicadores, vindos das Associações Regionais e Escolas Famílias Agrícolas integrantes da rede. A formação pretende fazer com que os participantes se motivem a contar histórias digitais através do uso criativo das novas tecnologias de informação e comunicação num contexto de aprendizagem dentro e fora da sala de aula. As oficinas serão assessoradas por Bart Vetsuypens, da DISOP Belga e Comundos.
A primeira oficina será realizada entre os dias 25 e 29 de maio, em Bacabal-BA, na sede da UAEFAMA - União das Associações das Escolas Famílias Agrícolas do Maranhão. Nesta oficina está prevista a participação de representações vindos das regionais AEFARO (Rondônia), RAEFAP (Amapá), AEFAPI (Piauí), UAEFAMA (Maranhão), Estado do Tocantins e EFAs dos Estados do Ceará e Pará. A segunda oficina será realizada entre os dias 08 a 12 de junho, em Piúma-ES, no CFR - Centro de Formação e Reflexão do MEPES - Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo. Para esta formação está prevista a participação de representações da AMEFA (Minas Gerais), AGEFA (Rio Grande do Sul), IBELGA (Rio de Janeiro), AECOFABA e REFAISA (Bahia), MEPES e RACEFFAES (Espírito Santo), Estados de Goiás e Mato Grosso do Sul.
Histórias digitais é um novo jeito simples, fácil de usar e acessível para todos darem ampla visibilidade a um fato, movimento social, acontecimento ou fenômeno da vida de uma pessoa e/ou de uma comunidade. Através de uma história digital se pode contar - por meio de montagem de fotos, sons, músicas, intertítulos ou através da própria voz - uma história individual ou coletiva, expressar um ponto de vista crítico ou exaltatório sobre um tema, problema ou fato específico. A técnica é fácil de ser assimilada e usada por pessoas de diferentes idades, níveis de educação e condições sociais. Não requer muito conhecimento anterior, educação formal ou habilidade técnica.

Objetivos dos participantes da oficina:

- Produzir conteúdos para sensibilizar ou mobilizar um público maior;
- Refletir sobre uma temática (análise, direitos da cidadania) e como se poderia fazer isto em diálogo com os telespectadores (fornecer informações e diferentes pontos de vista para o debate amplo de um problema a ser resolvido ou de uma conquista obtida);
- Adquirir habilidades para analisar, falar e escrever a própria narrativa sobre um fato interessante;
- Os participantes aprendem a montar digitalmente uma história com software de vídeo básico, gratuito e simples de usar;
- Adquirir a percepção que não é tão difícil fazer um próprio filme curta-metragem com as TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação), mídias digitais (desmistificar o uso das TICs);
- Os participantes aprendem como difundir sua mensagem na internet;
- Produzir a própria mídia e aprender técnicas como difundir a mensagem.

Programação de atividades da oficina:

- Fase 1: Aprimorar o conhecimento sobre a temática,chuva de ideias sobre possíveis histórias;
- Fase 2: Elaboração do texto. Aperfeiçoar o texto para uma história digital;
- Fase 3: Digitalizar o material para ilustrar a história, gravação de voz, pesquisa de fotos (scanner, internet, fotos próprias);
- Fase 4: Introdução em montagem de vídeo/som, implementação prática;
- Fase 5: Finalizar a história digital e possível apresentação dos produtos; Avaliação da oficina.

Material, equipamentos e conteúdos necessários:

- Laptop/notebook com mouse (o mouse facilita o trabalho de edição); 
- Fotos digitais do contexto de cada participante, se possível com tamanho que seja mais que 1920 x 1020 pixels (fotos horizontais); 
- Pensar numa história que vale a pena contar. Também poderia servir como material didático nas EFAs.

0 comentários:

Postar um comentário