terça-feira, 28 de outubro de 2014

Estudantes da EFA Dom Fragoso apresentam o Auto da Dona Caroba

“Vocês tem certeza que vão dar conta? Essa não é uma daquelas peças que a gente improvisa aqui em nossas noites culturais. Vocês têm certeza que vão conseguir mesmo com todas as tarefas que têm pra fazer?”, desafiou Gorete Alves Araújo, coordenadora da Escola Família Agrícola Dom Fragoso (Independência-CE) quando cinco educandas e cinco educandos, divididos/as entre elenco e produção, na tarde do dia 21/09 disseram sim para o desafio de realizar o "Auto da Dona Caroba". A obra é de autoria de Fram Paulo, e foi encenada por seis grupos em todo Ceará como parte da campanha “Não troque seu voto por água”. A ação foi animada por comunicadoras/es populares do Fórum Cearense pela Vida no Semiárido (FCVSA).
Além da encenação da peça, foram realizadas rodas de conversa e distribuição de panfletos em várias localidades. A obra foi adaptada para um filme estrelado quase totalmente por comunicadoras/es do FCVSA. Assistir ao “O Auto da Dona Caroba em: Não troque seu voto por água”, dirigido pelo mesmo Fram Paulo, que é também comunicador popular do fórum, foi fundamental para motivar as/os educandas/os a abraçarem o desafio de realizarem o auto na microrregião de Crateús, onde nenhum grupo ainda havia encenado. O local escolhido foi o assentamento Bonifácio, em Tauá, no Sertão dos Inhamuns.
A EFA desenvolve a Pedagogia da Alternância, na qual as/os estudantes passam 12 dias na sessão escolar e o restante do mês realizando estágios e atividades com as famílias e comunidades. Estavam há cinco dias de encerrar a sessão, cheias/os de tarefas pra finalizar e outras pra fazer em casa quando responderam positivamente ao desafio. “Os meninos estão empolgados. Todo intervalo que eles têm, ensaiam o texto”, comentou Gorete a um dia da noite cultural que seria realizada na quinta seguinte (25/09). Esta seria a apresentação piloto deles/as, como uma espécie de avaliação geral, proposta como desafio para elas/es próprias/os avaliarem realisticamente a possibilidade de realizar a apresentação em Bonifácio.
E quem viu o desempenho delas e deles, ainda com papel dobrado e disfarçado na mão para olhar algumas falas, não diria que tiveram apenas quatro dias pra ensaiar, tendo apenas um script para cinco atores e atrizes, por conta de alguns contratempos que as/os impediram de ter acesso a mais cópias a tempo. Ana Érika Dias, que interpretou a menestrel, Aiaza Torquato, que deu vida à heroína Caroba, Mário Jonas, que viveu o incrédulo Julião, Fagner Rodrigues, intérprete do corrupto comprador de votos e vereador Chicão, Felipe Monteiro, que viveu o Caiga Torta e Juliana Carvalho, a Anjo da Informação, impressionaram já na primeira exibição.
Colaboraram com eles Gabriela Mesquita, Gilvan Santana, Deusimar Júnior e Tainara Lima na produção, maquiagem e cenografia. Quem chegou ao auditório da EFA pra ver uma apresentação piloto, veria ali todo cuidado de quem não quer decepcionar. Mais do que isso, veria a primeira grande amostra de como não estavam dispostos apenas a apresentar uma peça, e sim de fazê-la da melhor forma que podiam. “Nós vamos conseguir passar a mensagem”, comentou Ana Érika, após ela e o grupo que ela liderava ter superado o primeiro desafio.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA NA PAGINA DA CÁRITAS BRASILEIRAS.

Texto e foto por Eraldo Paulino/ Cáritas Diocesana de Crateús.

0 comentários:

Postar um comentário