terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

EFA do Pacuí é beneficiada com transferência de tecnologias da Embrapa

Com a instalação da Unidade Demonstrativa da variedade de milho BRS Caatingueiro a Embrapa Amapá deu início às atividades do projeto de transferência de tecnologia na Escola Família Agrícola do Pacuí (Amapá) neste ano de 2013. Esta variedade possui grãos semiduros amarelos e sua principal vantagem é o ciclo superprecoce, que permite colheitas mesmo em período de pouca chuva. O florescimento do “BRS Caatingueiro” ocorre entre 41 e 50 dias.
Em janeiro, com a terra úmida pelas águas do bom inverno amazônico, o assistente Adjalma Souza preparou a área para o plantio do milho. Esta atividade faz parte do projeto de inclusão tecnológica dos alunos das cinco Escolas Famílias Agrícolas e Agroextrativistas do Amapá. “Os produtores, que são familiares dos alunos da Escola Família Agrícola, saem da dependência do fornecedor de sementes de milho. Esta autonomia ocorre porque eles próprios podem produzir as sementes de variedades de milho testadas para a nossa região”, explicou o analista de transferência de tecnologia e coordenador do projeto, Jackson de Araújo dos Santos.
Na primeira fase do projeto, executada no período de 2008 a 2010, uma equipe técnica da Embrapa dedicou-se às aulas práticas em produção de mudas frutíferas, plantio sem uso do fogo, manejo florestal de espécies arbóreas de várzea e de uso múltiplo, instalação de unidades demonstrativas de culturas alimentares, apicultura e cursos de irrigação. Na etapa atual, os agricultores vinculados às associações das cinco escolas famílias indicaram as áreas para as unidades demonstrativas e participaram da seleção de mudas e sementes usados nas ações de transferência de tecnologia.
Na execução do projeto, a Embrapa conta com os agentes multiplicadores dentro das próprias escolas. Um deles é Idoel Sarmento dos Santos, da comunidade São Sebastião, município de Cutias do Araguary. Ele faz parte da diretoria da Escola Família Agrícola do Pacuí e acompanha de perto os diversos experimentos instalados pela Embrapa, a exemplo da área consorciada de banana e açaí. “Esta Unidade Demonstrativa de banana tem sido um grande benefício para nossa comunidade escolar, porque aqui temos cultivares resistentes a doenças. Já fizemos várias colheitas, e esse processo serve para a formação técnica e resulta no fruto da banana para consumo dos alunos”, afirmou Idoel Santos.
A Escola Família Agrícola do Pacuí completa 25 anos em abril deste ano. Atualmente conta com 100 alunos divididos em cinco turmas e pratica a pedagogia da alternância. Ou seja, os alunos permanecem na escola por quatro semanas seguidas, em regime semi-internato – e duas semana na área agrícola onde residem seus familiares. Não trata-se de folga, é a fase chamada de “sessão familiar”, quando os estudantes aplicam os conhecimentos técnicos junto com seus familiares, que por sua vez são os mantenedores das escolas famílias. “As atividades de transferência de tecnologias da Embrapa encaixam-se perfeitamente no currículo da escola. Muitos alunos já levaram mudas de bananas para plantio em suas propriedades de produção, e também contamos com a participação dos pais dos dias de campo”, destacou a diretora da escola, Bianca Maria de Souza Rigamonti.
O projeto também possibilitou à Escola Família Agrícola do Pacuí a ampliação do acervo da sua biblioteca por meio da doação da Minibiblioteca Embrapa, composta de livros, revistas e arquivos digitais dos programas de rádio Prosa Rural e o Dia de Campo na TV. A aluna Mônica de Souza Ferreira, 16, é da turma do terceiro ano e atualmente concilia as aulas com o estágio na biblioteca. “Além da Minibiblioteca também recebemos outra remessa de livros técnicos da Embrapa, com temas fundamentais para nosso aprendizado como manejo de pastagem ecológica, degradação de pastagem, cultura da banana, fruticultura orgânica, solo, planta e água na formação de paisagem”, descreveu Mônica Ferreira, residente na localidade Ponta Grossa, município de Macapá.

Fonte: Site do Corrêa Neto. Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96

0 comentários:

Postar um comentário