sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Nota de Repúdio contra Despejo da EFA Bontempo de Itaobim-MG

Foi nesta semana assinada e divulgada nota de repúdio contra ordem de despejo da Escola Família Agrícola Bontempo, localizada na região do Vale do Jequitinhonha, em Itaobim - MG. Confira a nota de repúdio abaixo, emitida pela AMEFA- Associação Mineira das Escolas Famílias Agrícolas e UNEFAB - União Nacional das Escolas Famílias Agrícolas do Brasil:
ENTENDA O CASO DA EFA BONTEMPO.


"Nota de repúdio contra Despejo da EFA Bontempo em Itaobim/MG. 


Nota encaminhada originalmente pela AMEFA  - Associação 
Mineira das Escolas Famílias Agrícolas.



No dia 23 de fevereiro de 2012, segundo o Diretor Ricardo Vital, um oficial de justiça apareceu na sede da Escola Família Agrícola Bontempo, situada em Itaobim, Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, para comunicar o mandado de reintegração de posse dos prédios onde a EFA funciona há mais de 10 anos. Não bastasse os dados estarrecedores da situação da educação da juventude rural no Brasil, que não vem ao caso comentar agora, é lamentável tal episódio. É sabido que a EFA Bontempo, surge da necessidade dos trabalhadores resolverem o problema da educação de seus filhos, com uma escola diferenciada, contextualizada em sua realidade. A EFA Bontempo foi construída pelos trabalhadores rurais, num terreno doado em comodato, por tempo indeterminado, pela Fundação Brasileira de Desenvolvimento, cujo presidente é o padre católico, Sr Felici Bontempi. Ele e sua fundação reivindicam o terreno e os prédios construídos ali pela Associação gestora da EFA, AEFAMBAJE. São 200 jovens matriculados cursando 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio e Profissional Técnico em Agropecuária. A luta na justiça vem se protelando há mais de 5 anos. Em todo este tempo a EFA Bontempo buscou saídas através do diálogo apelando para as autoridades que ajudassem a encontrar alternativas para que seus alunos não sofressem prejuízos com o despejo: audiência pública na Assembléia Legislativa em 2010, tentativas de conciliação no STJ de Minas Gerais e no Fórum de Medina. Os trabalhadores responsáveis por este projeto já afirmaram que “dali não saem”. Esperamos que providências seja tomadas para evitar conflitos maiores. Não seria o momento de o Estado ou a Prefeitura de Itaobim tomar uma atitude e desapropriar aquela área para fins sociais? 

Abaixo assinado:
- João Batista Begnami – Assessor da UNEFAB 
- Idalino Firmino dos Santos – Associação Mineira das Escolas Famílias Agrícolas- AMEFA 
- Gabriela Souza Santos – AMEFA – Estudante da Licenciatura em Educação do Campo – UFMG 
- Luiz da Silva Peixoto – Articulador Pedagógico da Rede CEFFAs do Brasil 
- Iara Ribeiro Silva – Secretária Administrativa da UNEFAB 
- Antonio Baroni Rocha – Presidente da UNEFAB 
- Antonio Pereira de Almeida – Presidente da AEFACOT – Associação as EFAs do Centro Oeste e Tocantins.
- Anselmo Pereira de Lima – Egresso da EFA de Orizona - EFAORI 
- Luisa Ribeiro de Almeida – Coordenadora Pedagógica da EFA de Orizona - EFAORI 
- Isabel Passarelli – Diretora da EFA Rosalvo da Rocha Rodrigues – EFAR. 
- Jucelia Santos Silva – Egressa da EFAR."


Fotos: Álbano Silveira Machado/ Divulgação.

0 comentários:

Postar um comentário